Diário de bordo #1

May 22, 2014

Diário de bordo #1

Em Fevereiro de 2013 tive minha primeira mudança de emprego. Deixei o cargo de desenvolvedor de software na Phoebus Tecnologia para me tornar professor do Instituto Federal da Paraíba e engenheiro de software na wolfSSL.

O campus do IFPB ao qual fui alocado fica na cidade de Cajazeiras, polo educacional do sertão paraibano, e segundo Alcides Carneiro, a cidade que ensinou a Paraíba a ler.

Neste novo ambiente, tive a oportunidade de entrar em contato não somente com a área de informática, mas também com a de indústria, lecionando a disciplina de introdução a lógica e algoritmos no curso de automação industrial durante os dois últimos semestres.

Com o tempo, percebi que lecionar não é uma coisa tão simples e direta, mesmo que seja um assunto que eu tenha extrema afinidade e conhecimento sobre.

Em outras formações, os perfis profissionais podem variar de ligeiramente parecidos até totalmente distintos dos nossos, e nós professores temos que nos adaptar, imergindo no universo do aluno, buscando a melhor abordagem que se encaixe à sua necessidade e ponderando o nível de cobrança.

Em paralelo a este novo desafio de ser professor, iniciei também outro: trabalhar como consultor e desenvolvedor de software na wolfSSL, uma empresa norte americana que tem como carro chefe a implementação de um dos protocolos de comunicação segura mais utilizado nos dias de hoje, o SSL/TLS.

O desafio em si desta vez não foi ser um desenvolvedor de software, pois eu já executava esta função há sete anos na Phoebus Tecnologia, nem o fato de trabalhar com protocolos de comunicação e criptografia, pois eu também tinha contato com estes assuntos na minha especialização em segurança de informação e também no emprego anterior onde desenvolvia software para máquinas de cartão de crédito, transações que necessariamente precisavam ser bem protegidas.

Você já deve estar perguntando: “Sim Moisés, mas qual foi o bendito do desafio?”. Bom, o desafio dessa vez foi trabalhar com uma equipe 100% estrangeira e ter sucesso no home office. Me adaptar ao ritmo de trabalho e ao chaveamento IFPB/wolfSSL, resistir a todas as distrações ao meu alcance enquanto trabalho da sala de casa.

Arduino UNO R3
Creative Commons BY 2.0
Raspberry Pi
Creative Commons BY-SA 3.0

Partindo desse ponto, há alguns meses eu comecei a me interessar por eletrônica digital. Com isso eu quero dizer “mergulhar de cabeça” ou “me interessar de verdade” no assunto, pois desde criança eu sempre fui muito curioso e sempre abria meus brinquedos eletrônicos para ver como eles funcionavam. Em alguns casos eu até construía novos brinquedos a partir de brinquedos velhos que não funcionavam mais, ou não tinham mais tanta graça. E foi aí que eu comprei um Arduino UNO e, antes mesmo que aprendesse a mexer nele com segurança, adquiri um Raspberry Pi, por ser mais potente e capaz de integrar com o Arduino, possibilitando integrar sistemas mais simples com outros mais complexos.

Hoje tive a oportunidade colocar o produto da wolfSSL para funcionar no raspberry, como se eu juntasse as duas pontas, uma vindo do trabalho acadêmico e outra vindo do trabalho como desenvolvedor. Este é o ponto onde estou agora, uma boa bagagem profissional adquirida graças à Phoebus, uma missão de ensinar/aprender/experimentar e uma oportunidade de colocar meu trabalho como desenvolvedor a prova no cenário internacional.